Alergia Alimentar Tardia

Em uma reação alimentar, o sistema imunológico reage liberando células chamadas anticorpos. Alimentos que causam reações alérgicas são chamados antígenos ou alérgenos. Dois tipos de anticorpos normalmente produzidos em resposta aos alimentos são IgE (Imunoglobulina E) e IgG (Imunoglobulina G). Alergias e hipersensibilidades alimentares diferem pelo tipo de anticorpo produzido e a velocidade da reação. Alergia alimentar é uma reação imediata causada pela produção de anticorpos IgE, enquanto sensibilidade alimentar é uma reação tardia causada pela produção de anticorpos IgG para alimentos específicos.

Alergia Alimentar IgE – Reação imediata

Reações por IgE geralmente ocorre dentro de minutos após comer um alimento reativo e pode, em raras ocasiões, pôr a sua vida em risco, por exemplo, alergia a amendoim.

Erupções cutâneas (urticária, eczema), respiração e problemas digestivos são também reações comuns causadas pelo IgE.

Após o primeiro tempo de exposição a um alérgeno, o corpo se lembra de que o alérgeno “parece” e mantém uma alimentação de IgE pronto para liberação imediata se “vê” o alérgeno novamente. Encaminhamento para o especialista é recomendado em caso de graves alergias alimentares (ie: dificuldade em respirar, choque anafilático).

Hipersensibilidade Alimentar IgG – Reação Tardia

As reações por IgG demoram horas ou dias para desenvolver, o que torna difícil determinar o alimento que causa os efeitos, sem fazer testes. Em uma reação IgG, os anticorpos da classe IgG se ligam ao alérgeno e criam um complexo anticorpo-alérgeno. Estes complexos são normalmente removidos por células especiais chamadas macrófagos. No entanto, se estiverem presentes em grande número e o alérgeno ainda está sendo consumido, os macrófagos não são capazes de remover todos os complexos. Assim, os complexos anticorpos-alérgenos se acumulam e são depositados nos tecidos do corpo. Uma vez nos tecidos a liberação destes complexos causam inflamação, o que pode contribuir para uma variedade de doenças e condições de saúde.

Condições associadas à Alergia Alimentar

Desordens Digestivas: condições como síndrome do intestino irritável (IBS) e doença de Crohn têm sido associadas a reações alimentares IgG. Pesquisas tem demonstrado que a eliminação de anticorpos da classe IgG reativo aos alimentos podem aliviar os sintomas IBS.

Migranias/Dores de Cabeça: um estudo realizado em 2007 descobriu que 43/65 pacientes com enxaqueca apresentaram completa remissão da cefaleia após um mês de eliminar alimentos reativos. Outro estudo de 2010 encontrou uma redução significativa no número de dias de cefaleias e ataques de enxaqueca com eliminação dos alimentos reativos.

Ganho de Peso: os complexos antígenos-alérgenos nos tecidos causam inflamação, que leva à retenção de líquidos e o ganho de peso. Para combater inflamações, o corpo libera uma substância chamada grelina, que também é um estimulante do apetite. Assim, reações alimentares por IgG podem causar ganho de peso em duas formas: pela retenção de líquidos e aumento do apetite.


 

Alimentos Testados

Leite e ovos: Leite de vaca, ovo total.

Peixes, crustáceos e frutos do mar: Atum, mix peixe carne branca (Bacalhau, Hadoque e Linguado), mix peixe água doce (Truta e Salmão), mix crustáceos (camarão, lagosta, caranguejo, mexilhão, marisco).

Carnes: Carne bovina, cordeiro, frango, porco.

Frutas:  Abacaxi, Ameixa – Banana - Cereja – Mação – Laranja&limão – Melancia – Melão – Morango – Pêra - Pêssego.

Cereais e Grãos: Arroz – Aveia – Centeio – Cevada –Gergelim – Glúten – Milho – Trigo – Trigo Duro.

Castanhas e sementes: Amêndoa, amendoim, cacau, café, castanha de caju, castanha do pará, gergelim e nozes.

Verduras e Legumes: Aipo – Alface – Alho – Alho-poró – Batatas (Inglesa –Roxa e Baroa) – Brócolis – Cenoura – Couve-Flor – Moranga – Pepino – Pimentões – Tomate.

Diversos: Azeitonas – Soja –Cacau – Café – Chá – Cogumelos – Gengibre – Hortelã – Fermento&Leveduras - Mel

 

REAÇÕES TARDIAS

As reações alimentares tardias são reações anticorpo IgG (comida sensibilidades) que podem ocorrer horas ou dias depois que um alimento é consumido. As substâncias químicas inflamatórias liberadas com anticorpo-antígeno complexos podem ter os seguintes efeitos:

Sistêmicos: Febre, fadiga, calafrios, sudorese, sensação de fraqueza.

Pele: Prurido, vermelhidão, inchaço e erupções cutâneas (incluindo eczema).

Cérebro: Distúrbios do humor e de memória e problemas comportamentais.

Pulmões: Bronquite e sintomas de asma;

Sistema Muscular Esquelético: Lesões, dores articulares e rigidez muscular.



 

Resultados Inesperados

  • Se você não tiver comido um alimento em particular por muitos meses é improvável que você ainda tem muitos anticorpos para esse alimento. Nesse caso, a falta de reação é provavelmente devido à falta de exposição e não significa, necessariamente, que a reação para o alimento é não-reativa;
  • Por vezes surgem reações de alimentos que você raramente ou nunca comeu. Por exemplo: uma criança reage ao café. Isto pode ser devido à sensibilidade com um outro alimento relacionado ou pode resultar de exposição involuntária ao alimento (ingredientes de alimentos embalados ou molhos). É importante entender que ter anticorpos IgG elevados não é um problema se o alimento reativo é raramente consumido.
  • Reações não-imunes: Reações a alimentos também podem surgir por falta de enzimas digestivas ou de ácidos estomacais, substâncias químicas presentes naturalmente nos alimentos e aditivos artificiais. Por exemplo: intolerância à lactose é devido à deficiência da enzima lactase; a histamina é encontrada no vinho, queijo, espinafre e tomates; MSG é um aditivo que pode produzir sintomas em algumas pessoas. Estas não são reações imunológicas, e, por tanto, não irão resultar na produção de anticorpos.
  • Reações alimentares também podem surgir de experiências negativas anteriores para um alimento específico (por ex. intoxicação alimentar). É possível ter uma reação física a exposições subsequentes ao mesmo alimento.